Quem compra mais pela internet?

O monitoramento constante é de extrema importância, uma vez que existem nichos muito específicos

Se antes, lá no começo dos anos 2000, o público brasileiro tinha um certo receio em fazer suas compras pela Internet, hoje, a coisa é bastante diferente. Um estudo feito em parceria pelo SPC – Serviço de Proteção ao Crédito – e a CNDL- Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, constatou que cerca de 43% dos internautas fizeram mais compras online em 2017. Ou seja, cada vez mais pessoas têm preferido as lojas virtuais às físicas.

No entanto, quem compra mais pela Internet no Brasil? Qual é o perfil desse público que faz seus pedidos de produtos e serviços online? Listamos alguns pontos para ficarmos de olho!

Perfil por região

Um dos dados mais importantes sobre o perfil do consumidor online tem a ver com a região onde ele mora. De acordo com informações da 35ª edição do Webshoppers, estudo sobre o comércio eletrônico brasileiro realizado pela Ebit, 60% das compras feitas nos e-commerces são efetuadas na região sudeste do país. O Sul fica em segundo lugar, com 16%, seguido do Nordeste, com 12,5%. No caso do Centro-Oeste é interessante perceber que, no último ano, houve um aumento de 6,3% para 8,5%, assim como o Norte, que foi de 2,7% para 3%.

Perfil por sexo

Ao contrário do que acontece em outros temas, nas compras por meio de lojas virtuais, a história é mais igualitária entre homens e mulheres. Só para se ter uma ideia, no primeiro semestre de 2017, 50,1% dos consumidores eram identificados como mulheres, enquanto 49,9%, homens. Porém, essa equidade termina quando falamos de ticket médio: os homens costumam gastar, em média, cerca de R$ 343, enquanto as mulheres consomem por volta de R$ 243 por mês nos e-commerces.

Perfil por idade

Um dos motivos que tem levado ao crescimento do mercado eletrônico nacional é o fato de que o consumidor brasileiro está cada vez mais conectado, independentemente da faixa etária, esse é um número crescente. Hoje, a divisão dos consumidores digitais fica da seguinte forma: 

· 38%: entre 25 e 34 anos;

· 23%: entre 35 e 44 anos;

· 18%: entre 18 e 24 anos;

· 12%: entre 45 e 54 anos;

· 7%: entre 55 e 64 anos;

· 2%: com mais de 65 anos.

Se o grupo da terceira idade é o menor, ainda assim é bom não perdê-lo de vista: de acordo com o relatório ‘Consumer Generations’, realizado pela Tetra Pak, esse é o público que não pensa duas vezes em pagar mais caro por um produto – inclusive na web -, desde que ele tenha qualidade.

Apesar de todos esses dados, vale lembrar que o monitoramento constante é de extrema importância, uma vez que existem nichos muito específicos. Ou seja, como cada caso é um caso e deve ser tratado assim, o mais indicado é continuar analisando os resultados do e-commerce e entender todas as particularidades do seu público.

Referências: administradores.com.br

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *