O crescimento do e-commerce no Brasil

Você deve se lembrar e provavelmente seu comércio ainda deve sofrendo efeito da crise econômica que o Brasil viveu entre 2015 e 2016. Os números indicam que o país começa a deixar as taxas negativas de crescimento no passado. Para termos uma ideia, em 2016 o Produto Interno Bruto (PIB), indicador que mede a atividade econômica brasileira, diminuiu 3,6%. Já para 2017 a expectativa é que cresça  0,5% e atinja 2,1% positivos em 2018.

Em comparação, enquanto todos os setores tradicionais da economia sofriam para manter ou aumentar seu faturamento, o comércio online cresceu 15% em 2015, 7,4% em 2016 e a expectativa é que feche o ano de 2017 com um faturamento superior a 50 bilhões de reais, sendo 12% superior ao volume de compras de 2016. Ou seja, a crise desacelerou o crescimento do e-commerce que era superior a 20% entre os anos de 2011 a 2014, mas passou longe de gerar resultados ruins para as lojas virtuais.

Se você possui um comércio com apelo voltado a venda de produtos para datas específicas, o e-commerce também se mostra como uma excelente alternativa para a expansão de seus negócios. Por exemplo, somente com presentes para o Dia dos Pais, os e-consumidores movimentaram 1,94 bilhões de reais em 2017, representando uma alta de 10,1% sobre o R$ 1,76 bilhão de 2016. Já os gastos com o Dia das Mães representaram um crescimento de 16% sobre 2016 e atingiram o faturamento de R$ 1,9 bilhão.

Você pode estar se questionando: “Todo esse crescimento não indica que o e-commerce brasileiro sofrerá uma estagnação no volume de faturamento nos próximos anos? Isso inviabilizaria os investimentos de minha empresa nesse modo alternativo de vendas?” A resposta pode ser encontrada ao analisarmos alguns números relativos aos compradores virtuais.

Em 2016, 47,93 milhões de pessoas compraram em uma loja virtual. Isso representou um aumento de 22% sobre os 39,14 milhões de e-consumidores de 2015. Somente no primeiro semestre de 2017 houve 25,5 milhões de compradores virtuais. Ou seja, a elevação dos valores faturados é sustentada pela entrada de novos consumidores, não só pela conservação do mercado.

Outro dado que gera ânimo entre as empresas que já possuem um e-commerce é o fato de apenas 57,5% da população brasileira usa a internet. Além disso dos mais de 100 milhões de internautas, apenas 48 milhões compraram algo online. Logo, ainda há espaço para crescer o mercado, sem acirrar a competição pelos mesmos clientes virtuais

Portanto, a resposta para suas dúvidas é: O e-commerce ainda deve continuar com crescimento acelerado nos próximos anos, dado que menos de 50% dos internautas compram algo online e pouco mais da metade da população tem acesso à internet.

Agora que você já sabe qual a expectativa de crescimento desse mercado, vamos avaliar quais são os segmentos que mais se destacam tanto em volume de faturamento, quanto em número de vendas realizadas.

Referências: lnf.digital

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *